Automação ETA Itaqui

Placeholder

INTRODUÇÃO

Inclusão da estação de tratamento de esgoto Itaqui ao sistema de esgotamento sanitário de Campo Largo, cidade localizada na região metropolitana de Curitiba em parceria com a construtora LFM Engenharia.


O DESAFIO

Realizar a integração da ETE Itaqui ao sistema de esgotamento sanitário de Campo Largo, incluindo esta unidade ao sistema de supervisão da ETE Cambuí, com o intuito de garantir a operação remota da nova unidade a partir da ETE existente.

SOLUÇÃO E FUNDAMENTOS

Elaboração de diagramas lógicos e de controle em conjunto com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), conforme padrão deste cliente e posterior transcrição destes para os CLPs (específicos para controle de processos – série M340 da Schneider Electric), que operam em conjunto com I/Os remotos. Em paralelo ao desenvolvimento das aplicações dos controladores foi realizado o desenvolvimento das telas sinóticas da estação, em conformidade com os padrões/normas utilizados pela Sanepar.

A integração da nova unidade ao sistema de supervisão e controle da ETE Cambuí foi realizada a partir de rádios Ethernet operando na faixa de 900MHz, com taxa de transferência de 256kbps.



ETA_ITAQUI_1/

RESULTADOS

A implantação do sistema de automação na ETE Itaqui permitiu não tão somente a garantia de um controle de processo mais confiável e seguro como também possibilitou a redução de custos/facilidade na operação, já que a supervisão e atuação no processo é realizada remotamente, a partir de outra unidade operacional que já possui pessoal treinado e licenças necessárias para a execução do sistema de supervisão.