Sistema de Supervisão e Controle da Subestação de Morro dos Ventos

Placeholder

INTRODUÇÃO

Sistema de Supervisão e Controle da Subestação de Morro dos Ventos, situada no Rio Grande do Norte, recebendo a geração dos parques eólicos Morro dos Ventos I, III, IV e Eurus I e III, explorando uma fonte de energia limpa, com uma capacidade instalada de 205,2MW, através do Centro de Operação da Geração (COG) da DESA, situado em Curitiba

O DESAFIO

Desenvolver um sistema robusto voltado ao monitoramento e controle da geração dos parques eólicos situados no RN, com supervisão remota do sistema, através de links MPLS/VPN, baseado em Elipse E3 rodando em servidores redundantes (failover/hot stand-by), com gerenciamento de dados em SQL Server 2012, gravados via Storage, e relatórios de geração individualizados por parque eólico, nos regimes horário, diário, mensal e anual.

Os relés locais são conectados diretamente ao COG via protocolo de comunicação IEC61850. As torres de monitoramento das condições de vento locais tiveram um tratamento especial, de modo a manter a infraestrutura local e comunicação em Modbus RTU. Elas são conectadas através de um gateway de comunicação do modbus, via funcionalidade de domínio remoto, disponível no Elipse E3, que acessa um sistema em Elipse local e dele lê os dados. Pelo fato dos parques serem despachados pela ONS, existe também um roteamento de informações locais via driver IEC104 .

São monitorados todos os cubículos, reles e disjuntores, de modo a possibilitar o total controle e manobras na subestação. Os dados energéticos de entrada e saída são também monitorados, garantindo informações em tempo real. A operação é garantida através de estados, alarmes e diagnósticos, distribuídos no sistema que também dispõe de uma ferramenta de gráficos de tendência, elaborada de modo a garantir a comparação gráfica de quaisquer variáveis de interesse e exportação numérica e gráfica para uma planilha em Excel. O mesmo princípio se aplica aos alarmes que são disponibilizados em histórico para uma análise mais apurada das ocorrências.

SOLUÇÃO E FUNDAMENTOS

Utilização do software supervisório Elipse E3, comunicando com os equipamentos locais via Driver de comunicação IEC61850, IEC104, Modbus RTU e Domínio Remoto, através de links redundantes MPLS/VPN. Para o sistema de gerenciamento de dados, foi utilizado o Microsoft SQL Server 2012.

Tela_Supervisorio_DESA

RESULTADOS

Controle remoto da subestação e monitoramento dos dados de vento e de geração, com relatórios detalhados, possibilitando um acompanhamento dos Megawatts gerados, performance dos equipamentos e demais condições de locais.